Depender de Deus

Esboços de pregações

Aprenda a depender de Deus

Anúncios

"Para impedir que eu me exaltasse por causa da grandeza dessas revelações, foi-me dado um espinho na carne, um mensageiro de Satanás, para me atormentar. Três vezes roguei ao Senhor que o tirasse de mim. Mas ele me disse: "Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza". Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim. Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte" (2 Coríntios 12:7-10).

Paulo era um fariseu estudado, poderoso, respeitado por todos e muito temido pelos cristãos. Mas depois que Jesus o tocou, ele se transformou em um cristão pobre, desprezado, tido como louco e perseguido por aqueles que o respeitavam antes de sua conversão. Diante desta transformação, podemos dizer que, aos olhos humanos, a vida de Paulo piorou muito. Mas isso não importava, porque Paulo tinha uma visão espiritual das coisas. Veja:

"Embora eu mesmo tivesse razões para ter tal confiança. Se alguém pensa que tem razões para confiar na carne, eu ainda mais: circuncidado no oitavo dia de vida, pertencente ao povo de Israel, à tribo de Benjamim, verdadeiro hebreu; quanto à lei, fariseu; quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na lei, irrepreensível. Mas o que para mim era lucro, passei a considerar perda, por causa de Cristo. Mais do que isso, considero tudo como perda, comparado com a suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, por cuja causa perdi todas as coisas. Eu as considero como esterco para poder ganhar a Cristo e ser encontrado nele, não tendo a minha própria justiça que procede da lei, mas a que vem mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus e se baseia na fé. Quero conhecer a Cristo, ao poder da sua ressurreição e à participação em seus sofrimentos, tornando-me como ele em sua morte para, de alguma forma, alcançar a ressurreição dentre os mortos" (Filipenses 3:4-11).

Diante disso, podemos nos perguntar: "Qual era o segredo de Paulo? Por que ele não se abalava com as coisas ruins que aconteciam em sua vida?" A resposta é: Paulo dependia de Deus! Certa vez ele disse: "Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim" (Gálatas 2:20).

Paulo aprendeu a depender de Deus em tudo, e ao analisar a passagem acima de 2 Coríntios 12:7-10, podemos ver quatro coisas que nos ensinam a depender de Deus:

1) Os espinhos nos levam a depender de Deus

"E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar" (2 Coríntios 12:7).

As lutas que enfrentamos durante a vida são como espinhos e, enquanto estivermos nesta terra, teremos que lidar com eles. Às vezes nos ferimos por conta própria, e às vezes, Deus permite sermos feridos para nos disciplinar. Você pode se perguntar: "Se Deus é um Deus de amor, por que Ele permite que nós nos machuquemos com os espinhos? Por que permite que sintamos dor?" A verdade é que Deus prefere nos ver tristes perto Dele, do que sorrindo longe de Sua presença.

O pecado também é como um espinho para a humanidade. Veja: "E ao homem declarou: ‘Visto que você deu ouvidos à sua mulher e comeu do fruto da árvore da qual eu lhe ordenara que não comesse, maldita é a terra por sua causa; com sofrimento você se alimentará dela todos os dias da sua vida. Ela lhe dará espinhos e ervas daninhas, e você terá que alimentar-se das plantas do campo’" (Gênesis 3:17-18).

Porém, Jesus levou esses espinhos consigo para cruz, para que pudéssemos receber o perdão de Deus: "Tiraram-lhe as vestes e puseram nele um manto vermelho; fizeram uma coroa de espinhos e a colocaram em sua cabeça. Puseram uma vara em sua mão direita e, ajoelhando-se diante dele, zombavam: ‘Salve, rei dos judeus!’" (Mateus 27:28-29).

2) A oração nos leva a depender de Deus

"Três vezes roguei ao Senhor que o tirasse de mim" (2 Coríntios 12:8).

Deus respondeu a oração de Paulo? Sim, Ele respondeu! Ele sempre responde as nossas orações. Às vezes Ele responde com um "sim", e outras com um "não". E mesmo que Ele te diga um "não", isso também quer dizer "sim", pois o Senhor sempre tem o melhor para nossas vidas! Um dos motivos pelos quais temos que enfrentar problemas (espinhos) é que eles nos levam à oração. Antes de ser preso, Jesus orou três vezes pelo mesmo motivo:

"Ele se afastou deles a uma pequena distância, ajoelhou-se e começou a orar: ‘Pai, se queres, afasta de mim este cálice; contudo, não seja feita a minha vontade, mas a tua’. Apareceu-lhe então um anjo do céu que o fortalecia" (Lucas 22:41-43). 

Que bom saber que vontade de Deus prevaleceu! Jesus sofreu por um breve momento, mas ressuscitou ao terceiro dia e nos trouxe o perdão, cura, libertação e salvação. Isso só foi possível porque Ele dependeu do Pai em todos os momentos! Assim como Jesus, devemos estar dispostos a ouvir (e aceitar) qualquer resposta!

3) Viver na graça nos leva a depender de Deus

"Mas ele me disse: "Minha graça é suficiente para você, pois o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza". Portanto, eu me gloriarei ainda mais alegremente em minhas fraquezas, para que o poder de Cristo repouse em mim" (2 Coríntios 12:9).

Tudo o que precisamos é da graça de Deus. Ela é suficiente, nos basta. A graça do Senhor nos ajuda nos nossos momentos de fraqueza. Quando você está fraco, o diabo quer que você se levante sozinho, ele quer que você anule o sacrifício que Jesus fez na cruz. Mas, se você se apoiar na graça de Deus, o nome de Cristo será exaltado e Satanás será derrotado.

4) O amor de Cristo nos leva a depender de Deus

"Por isso, por amor de Cristo, regozijo-me nas fraquezas, nos insultos, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias. Pois, quando sou fraco é que sou forte" (2 Coríntios 12:10).

Paulo sentia prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, etc. E o crente deve ser assim. O crente passa por lutas, por problemas, mas é feliz de verdade! Quando você entende os benefícios da provação, você consegue tirar os olhos do problema e enxergar o amor de Cristo por você no meio da provação!

"Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança. E a perseverança deve ter ação completa, a fim de que vocês sejam maduros e íntegros, sem lhes faltar coisa alguma" (Tiago 1:2-4).

Aprenda a depender de Deus! Quando os espinhos vierem, lembre-se de Provérbios 3:5-6, que diz: "Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas". Deus te abençoe!

LEIA TAMBÉM:
Esboços de pregações
Estudos para células

Anúncios
Anúncios
Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Mensagens por Temas