A imaturidade dos discípulos

/uploads/posts/A imaturidade dos discípulos

As pessoas costumam acreditar que os discípulos de Jesus eram homens perfeitos, especiais, que nunca erravam. Mas isso não é verdade! Eles eram tão humanos quanto vocês e eu - cheios de falhas e defeitos como qualquer outro.  Em Lucas 9, vemos uma sequência de falhas que apontam a imaturidade dos discípulos. Vamos a elas:

"Aproximadamente oito dias depois de dizer essas coisas, Jesus tomou consigo a Pedro, João e Tiago e subiu a um monte para orar. Enquanto orava, a aparência de seu rosto se transformou, e suas roupas ficaram alvas e resplandecentes como o brilho de um relâmpago. Surgiram dois homens que começaram a conversar com Jesus. Eram Moisés e Elias. Apareceram em glorioso esplendor, e falavam sobre a partida de Jesus, que estava para se cumprir em Jerusalém. Pedro e os seus companheiros estavam dominados pelo sono; acordando subitamente, viram a glória de Jesus e os dois homens que estavam com ele. Quando estes estavam se retirando, Pedro disse a Jesus: ‘Mestre, é bom estarmos aqui. Façamos três tendas: uma para ti, uma para Moisés e uma para Elias’. ( Ele não sabia o que estava dizendo. ) Enquanto ele estava falando, uma nuvem apareceu e os envolveu, e eles ficaram com medo ao entrarem na nuvem. Dela saiu uma voz que dizia: ‘Este é o meu Filho, o Escolhido; ouçam a ele!’ Tendo-se ouvido a voz, Jesus ficou só. Os discípulos guardaram isto somente para si; naqueles dias, não contaram a ninguém nada do que tinham visto" (Lucas 9:28-36).

No monte da transfiguração, Pedro quis igualar Jesus a Moisés e Elias, fazendo uma tenda para cada um deles. (Você já viu cristãos que exaltam os servos de Deus em vez de exaltarem somente a Jesus?)

"No dia seguinte, quando desceram do monte, uma grande multidão veio ao encontro dele. Um homem da multidão bradou: ‘Mestre, rogo-te que dês atenção ao meu filho, pois é o único que tenho. Um espírito o domina; de repente ele grita; lança-o em convulsões e o faz espumar; quase nunca o abandona, e o está destruindo. Roguei aos teus discípulos que o expulsassem, mas eles não conseguiram’. Respondeu Jesus: ‘Ó geração incrédula e perversa, até quando estarei com vocês e terei que suportá-los? Traga-me aqui o seu filho’. Quando o menino vinha vindo, o demônio o lançou por terra, em convulsão. Mas Jesus repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou de volta a seu pai. E todos ficaram atônitos ante a grandeza de Deus. Estando todos maravilhados com tudo o que Jesus fazia, ele disse aos seus discípulos: ‘Ouçam atentamente o que vou lhes dizer: o Filho do homem será traído e entregue nas mãos dos homens’. Mas eles não entendiam o que isso significava; era-lhes encoberto, para que não o entendessem. E tinham receio de perguntar-lhe a respeito dessa palavra" (Lucas 9:37-45).

Enquanto Jesus estava lá no alto, os discípulos que ficaram no pé do monte não conseguiram libertar um menino da possessão do demônio, por lhes faltar oração e jejum. (Você conhece algum crente que ora por horas e horas achando que o poder está em suas palavras, se esquecendo de que orar é depender de Deus?) Eles jejuam dias e dias sem saber que jejum é abrir mão de tudo o que satisfaz a carne - não apenas o estômago.

"Começou uma discussão entre os discípulos, acerca de qual deles seria o maior. Jesus, conhecendo os seus pensamentos, tomou uma criança e a colocou em pé, a seu lado. Então lhes disse: ‘Quem recebe esta criança em meu nome, está me recebendo; e quem me recebe, está recebendo aquele que me enviou. Pois aquele que entre vocês for o menor, este será o maior’" (Lucas 9:46-48).

A imaturidade dos discípulos era tão grande que eles passaram a discutir para saber qual seria o maior no Reino de Deus. (E essa discussão, infelizmente, continua até hoje. Fulano é o maior pregador das Américas, Beltrano recebeu uma unção especial no monte "tal", Ciclano é o maior conhecedor da Bíblia de todos os tempos, etc.) Tudo isso é vaidade! 

"Disse João: ‘Mestre, vimos um homem expulsando demônios em teu nome e procuramos impedi-lo, porque ele não era um dos nossos.’ ‘Não o impeçam’, disse Jesus, ‘pois quem não é contra vocês, é a favor de vocês’" (Lucas 9:49,50).

Os discípulos queriam impedir um homem de expulsar demônios em nome de Jesus por não andar com eles. (Quantas vezes os servos de Deus querem interferir no trabalho do outro só porque não esse não fazem parte do seu ministério?) Isso chega a ser ridículo, mas é mais comum do que imaginamos.

"Aproximando-se o tempo em que seria elevado ao céu, Jesus partiu resolutamente em direção a Jerusalém. E enviou mensageiros à sua frente. Indo estes, entraram num povoado samaritano para lhe fazer os preparativos; mas o povo dali não o recebeu porque se notava em seu semblante que ele ia para Jerusalém. Ao verem isso, os discípulos Tiago e João perguntaram: ‘Senhor, queres que façamos cair fogo do céu para destruí-los?’ Mas Jesus, voltando-se, os repreendeu, dizendo: ‘Vocês não sabem de que espécie de espírito são, pois o Filho do homem não veio para destruir a vida dos homens, mas para salvá-los’; e foram para outro povoado" (Lucas 9:51-56).

A intolerância religiosa em nosso meio é muito grande! Mas Jesus nos diz: Vocês não sabem a quem vocês pertencem! Pedro escreveu sobre o caráter de Jesus: "Ele não cometeu pecado algum, e nenhum engano foi encontrado em sua boca. Quando insultado, não revidava; quando sofria, não fazia ameaças, mas entregava-se àquele que julga com justiça. Ele mesmo levou em seu corpo os nossos pecados sobre o madeiro, a fim de que morrêssemos para os pecados e vivêssemos para a justiça; por suas feridas vocês foram curados. Pois vocês eram como ovelhas desgarradas, mas agora se converteram ao Pastor e Bispo de suas almas" (1 Pedro 2:22-25).

Então, meus irmãos, tomem cuidado e não se enganem com os falsos cristãos.